fazer um site gratis no aqui

Número total de visualizações de página

domingo, 11 de novembro de 2018

VIOLA DA TERRA NO VIII ENCONTRO DE VIOLAS DE ARAME


A viola da terra da ilha Terceira participou, pela primeira vez, no VIII Encontro de Violas de Arame que este ano se realizou em São Martinho das Amoreiras, Odemira, nos dias 10 e 11 de Novembro. Durante a realização do evento, a viola da terra foi apresentada pelo músico Bruno Bettencourt.

Este encontro, realizado a par com o V Encontro de Tocadores de Viola Campaniça, visa valorizar e preservar as violas de arame portuguesas, numa organização do Centro de Valorização da Viola Campaniça e do Cante de Improviso (CVVCCI), coordenado pelo músico Pedro Mestre. Além de Bruno Bettencourt, com a viola da terra de 15 cordas, o encontro contou ainda com as presenças da anfitriã viola campaniça (Alentejo), a viola braguesa (Minho), a viola beiroa (Beira Baixa), a viola de arame (Madeira) e a viola caipira (Minas Gerais/ Brasil), dedilhadas, respectivamente, pelos tocadores Pedro Mestre e Carlos Loução, José Barros, Ricardo Fonseca, Vítor Sardinha e Chico Lobo.

O encontro contou com uma mesa-redonda na qual, os tocadores das violas de arame representadas na iniciativa expuseram um pouco da raíz cultural de cada um dos instrumentos, assim como as suas particularidades e técnicas de execução. Ainda no primeiro dia, assistiu-se ao debate "A viola de arame portuguesa", moderado por José Francisco Colaço Guerreiro e com as intervenções de Manuel Morais (musicólogo e professor), Domingos Morais (professor e etnomusicólogo) e Salwa Castelo-Branco (professora e etnomusicóloga). A noite terminou com o concerto "Violas de Arame" no Centro Social de Amoreiras-Gare onde a viola da terra esteve em palco a par das restantes violas de arame representadas. O concerto resultou num imenso sucesso, tendo em conta a aclamação e satisfação demonstrada pelo público que lotou por completo a sala. No segundo dia do evento aconteceu um debate sobre construção da viola de arame portuguesa, com a participação dos construtores Daniel Luz, Orlando Trindade e um representante da fábrica de cordofones "Artimúsica". O encontro terminou à boa maneira alentejana com uma sessão de cante ao despique e baldão, acompanhado à campaniça na Taberna do Lagar e um magusto.


A ideia para a realização deste encontro, surgiu, em Setembro de 2009, impulsionada por Pedro Mestre, no âmbito do Festival Planície Mediterrânica - Festival Sete Sois, Sete Luas, em Castro Verde, reunindo-se à altura quatro músicos portugueses, Pedro Mestre (Viola Campaniça), José Barros (Viola Braguesa), Vítor Sardinha (Viola de Arame/Madeira) e Rafael Carvalho (Viola da Terra/Açores). O sucesso desta primeira edição, levou estes quatro músicos até aos Açores (São Miguel), onde decorreu o II Encontro de Violas de Arame, contando com a participação especial da Viola Caipira, dedilhada por Chico Lobo (Minas Gerais/Brasil), o qual passou a integrar este Encontro. A III e IV edição do Encontro de Violas de Arame, decorreram em Castro Verde, em 2011 e 2013, respetivamente. Em 2015 e 2016, foi a vez do Brasil (Minas Gerais) as V e VI edição deste Encontro de Violas de Arame, o qual foi muito aclamado pelo público. A VII edição realizou-se novamente em Castro Verde, em 2017.


Povoação, domingo, 11 de novembro de 2018.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Seguidores

As mais vistas dos últimos 7 dias

Arquivo do blogue



 
Powered by Blogspot