fazer um site gratis no aqui

Número total de visualizações de página

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

DESPISTE NA ESTRADA DE CALÇADA DA LAGOA DAS FURNAS CAUSA 2 FERIDOS LIGEIROS

Ocorreu hoje de manhã na estrada de calçada da Lagoa das Furnas dois acidentes de viação por despiste devido a um conjunto de fatores há muito ali identificados.

Os dois veículos ligeiros despistaram-se num curto espaço de tempo na mesma via acabando por provocar além dos danos materiais, 2 feridos ligeiros.

Segundo o Comandante dos Bombeiros Voluntários da Povoação, Ruben Franco, os dois ocupantes da carinha de valores que despistou-se para dentro da lagoa das furnas, ficando a uns centímetros de entrar na água, foram encaminhados para o Hospital Divino Espírito Santo em Ponta Delgada pelos Bombeiros Voluntários da Povoação, estão livres de perigo, sendo considerados feridos ligeiros.

Apuramos também que o chefe da esquadra das furnas assistiu aos despistes, pois tudo aconteceu quando um carro ultrapassa a viatura do chefe Moniz que no momento deslocava-se para o seu local de trabalho. Depois de ultrapassado, mais à frente, o chefe Moniz deparou-se com o carro ligeiro capotado e de imediato saiu em socorro do condutor acidentado. Enquanto isso, aproxima-se a carrinha de valores que ao deparar-se com o acidente tenta travar, mas derrapa e cai em direção à lagoa. O condutor da carrinha parte o vidro e tenta sair, o chefe Moniz vai ao encontro do homem aflito e retira o condutor da carrinha, que estava ferido nos membros inferiores. 

De salientar a importante prontidão no socorro às infelizes vítimas por parte do chefe Moniz que de imediato acionou os meios de socorro.

Esta longa via de calçada da Lagoa das furnas apresenta aos condutores que por ali transitam vários fatores negativos, e como tal exige por parte destes redobrada atenção na sua condução, senão o mais improvável torna-se rapidamente provável. Com o tempo chuvoso é um perigo constante ali circular, por isso a redução da velocidade é imperiosa. O desnível e irregularidade do piso são bem notórios, sendo outro fator de enorme precaução. As ervas entre as pedras de calçada são uma autêntica armadilha. O tempo enevoado e húmido é outro perigo, porque embora a aparência da calçada seja de estar seca, na realidade não está.

A verdade é que ao longo dos anos vários despistes têm acontecido nesta via de calçada, numa via que apresenta longas retas onde o abuso da velocidade é uma constante, por inconsciência de muitos condutores, mas também não é menos verdade que mesmo com uma condução moderada o perigo de despiste numa via desta natureza continua a ser constante, sendo uma questão de sorte ou azar.

Quem possui carros a partir de 2007 paga um elevado imposto de circulação. Paguei pelo meu há dois dias a quantia de 148,00€, veículo a gasolina, 5 lugares, 1.300 de cilindrada, 5 anos. Ora, pagar todos os anos um exagero destes e com atualizações sempre a subir de ano para ano, pergunto. Qual a contrapartida deste imposto? Temos vias em condições para pagar este exagero? Quando acontece um azar devido às más condições da via o estado responsabiliza-se?

Alterações ao código de estrada português entram em vigor a partir de janeiro, sendo uma das alterações a equiparação dos velocípedes a automóveis e motos. Agora pergunto novamente. Quem possui bicicleta vai pagar o imposto de circulação? Eu que pago um elevado imposto de circulação automóvel vou ser obrigado a parar e a ceder passagem a uma bicicleta, que não paga nem um tusto para usufruir dos mesmos direitos/regras de um veículo automóvel. E quando uma bicicleta provocar um acidente com estragos materiais ou pessoais consideráveis? Como é que vai ser? Se não tem seguro por não ser obrigado a isso, quem vai pagar o prejuízo?   

Conclusão: Que tão mau vai este país!

Sem comentários:

Publicar um comentário

Seguidores

As mais vistas dos últimos 7 dias

Arquivo do blogue



 
Powered by Blogspot