fazer um site gratis no aqui

Número total de visualizações de página

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

PROMESSAS: GOVERNO AVANÇA COM VIA ALTERNATIVA DE ACESSO À RIBEIRA QUENTE

A implementação de uma via alternativa de acesso à freguesia da Ribeira Quente foi prometida publicamente em vários órgãos de comunicação social regionais, acontece, que, próximo dos atos eleitorais esta promessa é motivo de realce, mas, infelizmente, tudo não passou de manobras eleitoralistas na caça ao voto.

Mas, lá está, ao que é dado perceber a maioria dos povoacenses gosta de se deixar levar por essas manobras eleitoralistas, acreditando no conto do vigário.

É pena que assim seja!

Leia atentamente este artigo publicado a 31 de Outubro de 2007.

O secretário regional da Habitação e Equipamentos afirmou, hoje, que “nunca se fez tanta obra em tão pouco tempo” na Ribeira Quente, que visitou para evocar a memória das 29 pessoas que morreram nas derrocadas que há 10 anos atingiram esta freguesia do concelho da Povoação, na ilha de S. Miguel.

Os governos presididos por Carlos César investiram na Ribeira Quente, desde 1997, um total de 30 milhões de euros, em empreendimentos como o porto de pesca, a protecção da orla costeira e avenida marginal, a construção de um polidesportivo e de um heliporto e nos sectores da habitação e estradas, indicou José Contente.

Sobre a implantação de uma via alternativa de acesso à freguesia, disse tratar-se de “um projecto que tem vindo a ser maturado ao longo do tempo, tendo recebido, recentemente, orientações do presidente do Governo no sentido da sua implementação, através de um protocolo a estabelecer entre as secretarias regionais da Habitação e Equipamentos, Agricultura e Florestas e o gabinete de projectos que está a delinear a estrada”.

O projecto da estrada alternativa “está, neste momento, nos últimos 800 metros para se tomar uma de duas decisões sobre o seu traçado, ou pela zona dos Tambores ou do Agrião, sendo esta última, e de acordo com os projectistas, aquela que será mais adequada para finalizar um primeiro traçado que já está definido e que tem vindo a ser trabalhado”, esclareceu.

Segundo José Contente, “ainda este ano, a Secretaria Regional da Agricultura e Florestas vai continuar a rasgar o caminho até à zona do Agrião, ficando os últimos 800 metros para 2008”.

Na área da habitação, o governante salientou o lançamento pelo Executivo de um loteamento com 18 fogos, em regime de custos controlados.

A nova zona residencial da Ribeira Quente, que representa um investimento de 2,5 milhões de euros, vai dispor de uma parcela reservada ao realojamento de famílias de fracos recursos, indicou.

GaCS/AP/CP

Ponta Delgada, 31 de Outubro de 2007

Para refletir!

Fotos: Google imagens












Sem comentários:

Enviar um comentário

Seguidores

As mais vistas dos últimos 7 dias

Arquivo do blogue



 
Powered by Blogspot