fazer um site gratis no aqui

Número total de visualizações de página

quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

JOVENS POVOACENSES: A OPORTUNIDADE DE CRESCER COM A MÚSICA 

  Luciano Melo Valente, nascido a 21 de abril de 2002, tenho 16 anos de idade e sou natural da Povoação. Os meus pais são Valdemar Ricardo Benevides Valente e de Odete Margarida Cordeiro Melo.

   Tomei gosto pela música aos 12 anos de idade. Motivado pelo meu pai, dei início à aprendizagem da teoria musical e solfejo em 2014 na filarmónica União e Amizade da Lomba do Loução, todos os dias, por um período de 6 meses. Após essa etapa, integrei-me na banda como executante de bombardino.

  Passado um ano, e devido ao facto da Sociedade Filarmónica União e Amizade ter cessado a sua actividade, passei a fazer parte da Sociedade Harmónica Furnense, uma instituição centenária da nossa região.

Essa nova fase da minha vida musical foi muito importante para mim na medida em que adquiri muitos conhecimentos e desenvolvi mais a técnica de execução do bombardino com o Maestro José Santos. Lembro-me bem que uma hora antes de todos os ensaios, trabalhava individualmente com o maestro. Essa rotina foi muito importante para o meu desenvolvimento enquanto aspirante a músico. Essa fase durou um ano.

Posteriormente, já em 2016, integrei a Sociedade Musical Sagrado Coração Jesus onde permaneço ainda hoje sob a batuta do Maestro João Pedro Resendes.

Através da Sagrado Coração de Jesus estudei na Academia Musical da Povoação com o professor Diogo Carvalho durante 2 anos, participei 3 anos seguidos no estágio de instrumentos de sopro e percussão promovido pela Academia e ministrado por músicos da Banda Militar dos Açores.

    Sempre que tenho a oportunidade de participar em qualquer evento relacionado com instrumentos de sopro faço os possíveis por estar presente, sabendo a priori que essa formação fará com que eu possa desenvolver como músico, conhecendo também outras realidades que me enriquecem enquanto ser humano. Nessas sessões, tenho sempre o cuidado de ouvir sempre o meu som e aperfeiçoá-lo. Vejo isso como uma mais-valia para a minha integração como músico. E como se diz, o saber não ocupa lugar e posso fazer sempre melhor.

Durante todo esse tempo, tenho tido sempre o apoio dos meus pais. Aliás, a minha família tem um papel importante na minha vida como músico. Não tenho dúvidas que o meu gosto por música advém do fato de eu vir de famílias de músicos de ambos os lados.

A música está sempre presente no meu dia-a-dia. Mesmo não sabendo o que o futuro me reserva, uma coisa eu sei, irei sempre exprimir o gosto pela música.

Povoação, quinta-feira, 27 de Dezembro de 2017.




.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seguidores

As mais vistas dos últimos 7 dias

Arquivo do blogue



 
Powered by Blogspot