fazer um site gratis no aqui

sexta-feira, 3 de março de 2017

ESTORIETAS QUARESMAIS DOUTROS TEMPOS

Não pretendo entrar em polémicas mas falar de coisas a que chamo de anedótico.

Esta passou-se em Igreja do Concelho Povoacense, aproximadamente há sessenta anos. Era um homem boieiro tinha o hábito de ser o ultimo a deixar de trabalhar com o fito de seus bois pastarem em seara alheia e bermas dos caminhos.

Foi à confissão desobriga e falou desta sua tendência ao padre que era meio surdo que exclamou um pouco alto:

- Tu roubas com os bois!

Estando de joelhos o boieiro levantou-se zangado e exclama:

- Oh filho de púcara! Macaco de merda tas descobrindo a minha confissão. E saiu.

No ano seguinte voltou à confissão mas não ao Padre rijo de ouvido.

O Cheiro

Há uns anos atrás na época da Quaresma num dia de jejum e abstinência a tia Maria estava aflita sem saber o que havia de colocar na cesta para o almoço para o marido, por mais voltas que “desse ao miolo” só se lembrava de chouriço e dizia com os seus botões não pode ser é pecado; lá falou com o marido que lhe disse que não se apoquentasse que compraria na loja vinte escudos de queijo para o almoço. Foi o ti Filipe à loja e “bateu com o nariz na porta” a loja estava fechava hora de almoço toda gente quer é mastigar alguma coisa e lá se pôs o Filipe a dar dentadas no pão com pouca vontade mas eis que o apetite aumentou quando lhe chegou ao nariz o cheiro de chouriço que alguém fritava, lá bebeu uns goles de água e assim passou as horas de trabalho sem o estômago “a dar horas”.

Quando chegou a casa perguntou-lhe a mulher se tinha comprado o queijo, lá lhe contou ele a peripécia do almoço, pulo de macaca deu ela levantando braços e mãos levando-os à cabeça exclamando tu estavas doido comer o pão ao cheiro do chouriço cometeste um pecado tens que te confessar, O! Maria eu não comi o chouriço só cheirei…- Pecaste à mesma, vá-te confessar… Lá foi o Filipe confessar o seu pecado mais grave relacionado com o chouriço a penitencia que lhe deu o padre duas rezas e depois colocar vinte escudos na caixa das esmolas do Stº. senão para lhe perdoar. Filipe segurando a nota de vinte escudos levou-a ao nariz do Stº. por duas ou três vezes, depois levava-a à caixa sem introduzir na ranhura, voltou a repetir por duas ou três vezes a ginástica da nota, ora acima ao nariz do Stº ora a baixo da caixa, quando o padre lhe disse mete na caixa pró Stº senão te perdoar… o Stº senão cheira o dinheiro mas não o leva eu cheirei o chouriço mas não o comi, o Stº. senão se quer dinheiro que mande o Sr. padre trabalhar para o ganhar…

Pedaço de velhaco exclamou o padre!
      
Eu Caí na Calçada

Sempre que iam à confissão as mulheres daquele lugarejo diziam ao velho Padre… Sr. Padre eu caí na calçada e lá as perdoava o Padre em nome de Deus… Por morte ou afastamento deste, veio um Padre novo inexperiente e sempre que as mulheres se confessavam lá surgia o usual termo eu caí na calçada… Desconhecendo os caminhos da localidade dizia com os seus botões estas mulheres coitadas estão sempre a cair na calçada… Eu tenho de fazer algo para evitar que elas caiam … Falou o Padre ao regador para que mandasse arranjar a calçada… Surpreso ficou o regador que retorquiu que todos os caminhos estavam bons especialmente a calçada… O ingénuo padre exclamou como é que a calçada está boa se a sua esposa ontem caiu nela!

Como se lê neste conto, o vigário nem sempre sabe o Padre-nosso; mas tem sempre os ratos e ratas de sacristia que os elucidam…

O Mais Importante

Uma velhinha conhecida de muita boa gente foi À confissão na desobriga quaresmal e lá se reconciliou. Rezou suas orações e depois no regresso a casa já ia a meio caminho quando regressou de volta à igreja.

Bateu À porta da sacristia dizendo:

- Sr. Padre posso entrar?

- Entre.

- Oh Sr. Padre vim à confissão e esqueci-me do mais importante.

- O que foi que a Sr.ª esqueceu assim tão importante? Algum pecado ou não cumpriu a penitencia?

- Mais importante que isso Sr. Padre, é para o Sr. não se esquecer de tirar o meu nome do Rol!

Elucidando – Rol estatística de comunhões há dezenas de anos atrás em época quaresmal.

Sem uma boa Quaresma não haverá Páscoa – Páscoa é passagem para a vida de Cristo.

É urgente sermos testemunhas de Jesus Ressuscitado… Comungar Cristo “é comungar o irmão”…

Benjamim Carmo 

Povoação, sexta-feira, 3 de março de 2017.

Sem comentários:

Enviar um comentário



 
Powered by Blogspot