fazer um site gratis no aqui

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

TUDO A POSTOS PARA O 8º COLÓQUIO NACIONAL DO MILHO! PELA PRIMEIRA VEZ NA R.A.A. EM PONTA DELGADA

Faltam 2 dias para se dar início a mais um Colóquio Nacional do Milho, que se realiza pela primeira vez na Região Autónoma dos Açores, a 18 e 19 de Fevereiro. A adesão foi enorme, e a lotação da sala do Hotel Açores Atlântico, em Ponta Delgada, estará esgotada!

São mais de 300 pessoas que se deslocam do Continente e de várias ilhas açorianas para ouvir especialistas nacionais e internacionais sobre temas de extrema importância, como os Mercados Mundiais do Leite e do Milho Grão e os Desafios Técnicos da Produção de Milho Silagem em Portugal.

A ANPROMIS-Associação Nacional dos Produtores de Milho e Sorgo empreende mais uma vez esta grande iniciativa, que tem contribuído para reforçar a notoriedade do setor do milho em Portugal e para dar voz às aspirações e preocupações dos agentes desta Fileira.

«A escolha dos Açores para a realização do 8ª Colóquio Nacional do Milho constitui uma aposta da ANPROMIS, dado ser uma região onde a área de milho tem crescido nos últimos anos, desempenhando um papel fundamental como base da alimentação do efectivo leiteiro local. Por outro lado, tendo em conta os desafios que as Fileiras nacional e regional do milho e do leite enfrentam, neste período de grandes incertezas, julgamos que é fundamental existir uma união de esforços de todos os agentes envolvidos, com vista ao reforço da competitividade da nossa atividade enquanto produtores», afirma Luís Vasconcellos e Souza, presidente da Anpromis.

A Secretária Regional de Agricultura e Ambiente dos Açores junta-se à ANPROMIS como coorganizador do evento. ««Em boa hora decidiu a ANPROMIS realizar nos Açores o 8º Colóquio Nacional do Milho. É com todo o interesse e empenho que o Governo dos Açores se associa a esta iniciativa, fazendo desde já votos de boas vindas e de um profícuo trabalho», afirma Luís Neto Viveiros, titular da pasta da Agricultura no Governo regional. «Relevo a importância da cultura do milho para o autoabastecimento das explorações agropecuárias açorianas, constituindo-se como um fator redutor da dependência do exterior e dos custos de produção, e que potencia a capacidade produtiva, particularmente no âmbito da produção leiteira. Recordo que os Açores asseguram cerca de 30 % da produção nacional de leite em apenas pouco mais de 2% do seu território», conclui.

A Associação Agrícola de São Miguel, que também é parceira na organização do Colóquio, considera, nas palavras do seu presidente, Jorge Rita, que este «será um grande evento para os agricultores dos Açores, pela oportunidade que terão de debater temas de interesse com pessoas e entidades do setor do milho a nível nacional e internacional, o que certamente ajudará a potenciar a fileira açoriana do milho, que nos últimos anos registou um crescimento substancial».

Milho é catalisador da economia açoriana

O Colóquio fará uma análise da situação atual e das perspetivas futuras do Mercado Mundial do Leite, cerca de um ano após o fim do regime das quotas leiteiras, medida comunitária que tornou a situação dos produtores portugueses particularmente vulnerável. Só na Região Autónoma dos Açores, estima-se que os produtores de leite tenham perdido cerca de 30 milhões de euros, em 2015, por via do fim das quotas e consequente desvalorização dos preços do leite.

Neste contexto, o Governo Regional dos Açores anunciou um pacote de medidas no valor global de cerca de 5 milhões de euros destinados a apoiar os agricultores açorianos, que inclui um plano de reestruturação do setor leiteiro, com apoios à saída da atividade dos produtores de leite, incentivando o rejuvenescimento e emparcelamento do setor, bem como a comparticipação dos custos financeiros do endividamento contraído pelos agricultores açorianos junto da banca, e, ainda, o reforço do prémio à vaca leiteira em 2015, que passa a ser de 190 euros em todas as ilhas, numa medida extensiva a 2016.

«Sabendo que por si só esta medida não resolve o problema de setor leiteiro, é, no entanto, uma ajuda interessante que beneficiará cerca de 80% dos agricultores dos Açores», considera Jorge Rita, sublinhando a urgência de uma estratégia de promoção do leite de origem nacional e regional, tanto em Portugal como nos mercados externos. O aumento das exportações de leite é um desígnio para os agricultores da região que «deve ser trabalhado de forma persistente e consistente no sentido de conquistar novos mercados que valorizem a excelência do nosso leite e derivados», conclui o responsável associativo.

Na campanha de 2015 cultivou-se no Arquipélago dos Açores mais de 11 mil hectares de milho para silagem, indicador bem demonstrativo da importância que a cultura tem na Região, constituindo-se como um importante catalisador da sua economia. O setor do leite representa 75% do valor da agricultura açoriana.

Sem comentários:

Enviar um comentário



 
Powered by Blogspot