fazer um site gratis no aqui

sábado, 2 de maio de 2015

ATIVIDADE SÍSMICA NO FAIAL REGISTOU MAIS DE MEIA CENTENA DE EVENTOS HOJE - PROTEÇÃO CIVIL

O Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA) informa que, segundo o Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA), desde o dia 19 de abril tem vindo a ser registada alguma sismicidade numa região epicentral situada entre 37 e 46 quilómetros a oeste/noroeste da ilha do Faial.

Esta atividade foi desencadeada na sequência da ocorrência dos sismos registados no dia 19, às 22:02 horas, com magnitude 4,3 e no dia 24, às 22:14 horas, com magnitudes 4,7.

Estes sismos foram sentidos na ilha do Faial com intensidade máxima IV na Escala de Mercalli Modificada e também foram sentidos nas ilhas do Pico e de S. Jorge.

Desde essa altura foram sentidos outros três sismos nos dias 29 e 30 de abril e 1 de maio, tendo o de maior magnitude ocorrido a 30 de abril, às 06:30 horas, com magnitude 4,3.

Este sismo foi sentido na ilha do Faial com intensidade máxima IV e foi também foi sentido na ilha do Pico.

Tratando-se de uma região onde é habitual verificar-se alguma sismicidade, a atividade registada enquadrou-se no padrão associado à sequência sismo principal/réplicas revelando o gradual decaimento em frequência e magnitude.

Em alguns dos dias situados entre os eventos de maior magnitude a sismicidade foi bastante reduzida, não tendo sido registado qualquer evento nesta região epicentral no dia 28 de abril.

Desde as 14:00 horas de hoje tem-se vindo a verificar uma maior persistência da atividade sísmica nesta região, traduzida por um ligeiro incremento no número de eventos registados por hora.

O número de eventos registados no dia de hoje, até às 19:00 horas, é de cerca de 55 e o número de eventos registados desde o início desta atividade sísmica é de cerca de 245.

A região assinalada enquadra-se numa faixa de maior atividade sísmica situada entre 15 e 50 quilómetros a oeste da ilha do Faial que já foi palco de significativa atividade sísmica no passado, destacando-se a importante crise sísmica de 1992-1993, durante a qual ocorreram vários sismos de magnitude 4 e 5 que foram sentidos pela população da ilha do Faial, e a atividade ocorrida em março e maio de 2010.

O CIVISA continua a acompanhar o evoluir da situação, emitindo novos comunicados caso necessário

O SRPCBA recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, sobretudo através da adoção de comportamentos adequados, pelo que, em particular nas zonas mais vulneráveis, recomenda-se a observação e divulgação das principais medidas de autoproteção para estas situações, nomeadamente:

Manter a calma e contar com a existência de possíveis réplicas.

Não acender fósforos nem isqueiros e cortar imediatamente o gás, a eletricidade e a água.

Observar se a sua casa sofreu danos graves e sair imediatamente se achar que a casa não oferece segurança.

Ter cuidado com vidros partidos, cabos de eletricidade e objetos metálicos que estejam em contacto com estes.

Em locais públicos, não se precipitar para as saídas e não utilizar os elevadores.

Evitar ferimentos, protegendo-se com roupa adequada e de acordo com a estação do ano.

Observar se há pequenos incêndios e, se possível, extingui-los. Informar os bombeiros.

Limpar urgentemente o derrame de tintas, pesticidas e outros materiais perigosos e inflamáveis.

Afastar-se das praias e zonas ribeirinhas. Depois de um sismo podem ocorrer tsunamis (onda gigante).

Soltar os animais, eles tratam de si próprios.

Se estiver na rua, não vá para casa, dirija-se a um local amplo, protegendo-se de estruturas que o possam atingir ao cair.

Não dificultar a circulação das equipas de socorro e seguir as indicações dos agentes de Proteção Civil no terreno.

Estar atento às informações e indicações da Proteção Civil e forças de segurança.

Texto: GaCS/SRPCBA

Sem comentários:

Enviar um comentário



 
Powered by Blogspot