fazer um site gratis no aqui

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

ANDRÉ CASTRO, UM POVOACENSE COM ESPÍRITO AVENTUREIRO

Se existem povoacenses com este espírito, o jovem André Castro é o exemplo máximo disso. É um povoacense de gema, discreto, que nunca vira a cara à luta, que gosta de desafios, de aventuras e porque diz que a vida é curta demais para parar no tempo. Escolheu "terras de vera cruz" para assentar arraiais e a sua vida. Chegou ao Brasil e passados alguns meses de adaptação, casou com uma gaúcha e ambos vivem em Natal (Capital do estado do Rio Grande do Norte).

Este povoacense viveu na Povoação até aos 28 anos, junto da sua avó (que é uma Mãe). Trabalhou na Farmácia da Misericórdia durante 7 anos, mas depois disse que era tempo de mudar e procurar novos desafios.

Deixou a Farmácia da Misericórdia da Povoação e foi para Lisboa/Porto exercer funções na indústria farmacêutica, até que dissidiu rumar ao Brasil.

Um Olhar Povoacense foi de encontro a este jovem filho da terra para saber um pouco mais sobre esta sua nova aventura do outro lado do oceano atlântico.

Um Olhar Povoacense Que razões levaram o jovem povoacense André Castro a emigrar?

André Castro Bem, as razões que me levaram a emigrar foram a situação económica e financeira muito mal de Portugal e com isso a falta de um futuro para os jovens, também já tinha perdido muitas regalias no trabalho em que me encontrava. Então disse: Porque não arriscar? Como não sou de depender de ninguém nem esperar que algo caia do céu, decidi meter-me no avião e tentar a sorte aqui no Brasil, um País que gosto muito e que já tinha cá estado anteriormente duas vezes de férias.

U.O.P. O que sentiste no momento da partida?

A.C. – Senti um misto de emoções; Tristeza por deixar minha Mãe e entusiasmo/emoção por esta nova etapa sempre com pensamento positivo.

U.O.P. - Como foi a adaptação à vida no Brasil?

A.C. – A adaptação foi fácil porque temos uma grande vantagem que é a língua portuguesa. Os costumes não diferem assim tanto do que vemos em Portugal. Tive uma ajuda valiosa de algumas pessoas fabulosas que conheci aqui. Os brasileiros sabem receber e são ótimas pessoas.

U.O.P. Já te habituaste aos costumes do Brasil? Gostas de ai estar?

A.C. – Sim, já estou completamente habituado aos costumes daqui. Adoro estar aqui. Tenho uma mulher linda e fantástica que está sempre comigo em qualquer circunstância. Natal é uma cidade linda, tem tudo o que precisamos, como também nos presenteia com um misto de qualidades para quando quisermos e pudermos disfrutar destas (natureza, aventura, lazer etc…). É chamada a cidade do sol. Aqui faz calor o ano inteiro. Não aquele calor que abafa porque corre sempre uma brisa durante o dia devido ao cruzamento dos ventos na linha do Equador. O clima é fantástico! Tem praias e lagoas fabulosas como já pudeste ver através do meu facebook. Adoro morar aqui.

U.O.P. Não sentes saudades da tua família, dos amigos, do teu concelho, da terra que te viu nascer e crescer?

A.C. – Sinto muitas saudades da minha família que é minha Mãe e Irmã. Sinto muitas saudades dos meus amigos e claro, também sinto saudades da minha terra e dos bons amigos que ainda tenho aí.

U.O.P. - Estás satisfeito de trabalhar num país que não é o teu?

A.C. – Estou muito satisfeito. Fiquei na mesma área por isso não tenho grandes problemas. Claro que existem algumas diferenças a nível laboral, mas quem corre por gosto não cansa.

U.O.P. Foste bem aceite no país que te acolheu?

A.C. – Sim, fui muito bem aceite aqui. Como já referi anteriormente, as pessoas aqui são fantásticas, têm um calor humano extraordinário, são alegres, e receberam-me todas muito bem. Estou realizado e mais tarde espero retribuir fazendo o mesmo ou mais na minha terra.

U.O.P. Certamente que tal como muitos emigrantes acompanhas os acontecimentos mais relevantes do nosso concelho através do blog Um Olhar Povoacense. O que realmente sentes ao inteirares-te desses acontecimentos?

A.C. – Sempre que posso acompanho as notícias da minha terra através do teu blog. Até arrepia quando vejo algumas imagens. Quando estamos longe é que damos o verdadeiro valor à nossa terra e eu tenho sentido isso na pele. Adoro a minha terra.

U.O.P. Achas ser de relevante importância a divulgação/informação do nosso blog “Um Olhar Povoacense”?

A.C. – Acho que tem uma relevância enorme! Todos os emigrantes e pessoas em geral agradecem o trabalho magnífico que fazes em prol do concelho e sem receber "louros" em troca. Fazes de coração, por amor à terra como grande povoacense que és e com a ficha limpa. Colocas notícias de todas as vertentes e de praticamente tudo o que se passa no concelho. Um verdadeiro blog com este foco, só pode ser desse jeito.

U.O.P. Para concluir, o que gostaria o jovem povoacense André Castro de acrescentar a esta nossa agradável conversa?  

A.C. – Quero agradecer-te por teres-me convidado a participar nesta conversa sugestiva. Não sou muito dessas coisas, mas fico feliz por alguém ter-se lembrado de mim. Espero encontrar-te em breve para bebermos um copo e por a conversa em dia na nossa Povoação. Um grande abraço!

Sem comentários:

Enviar um comentário



 
Powered by Blogspot